Low Poo e No Poo: o novo jeito de tratar seus cabelos

Convidei a Stella, minha amiga que conheci através do #melhorgrupo no facebook, rainha do Loow e No Poo para contar para vocês um pouquinho mais sobre esse universo! Vem comigo com a Ste!

O ramo da beleza está sempre inovando, cada dia nos deparamos com novidades em maquiagens, dermocosméticos, esmaltes e produtos para cabelo, que fazem muito sucesso e nos levam à loucura!

Dessa vez, eu venho aqui contar sobre um movimento que vem ganhando cada vez mais popularidade: o low poo e no poo. Na tradução literal, seria algo como “pouco shampoo” (low poo) e “sem shampoo” (no poo), porém vai bem além do que simples significado do seu nome.

low-poo-no-poo-giuli-castro-01

Mas afinal de contas, o que é low poo e no poo? De onde veio? Como começou? A técnica foi criada pela cabeleireira americana Lorraine Massey, que lançou seu livro “Curly Girl: The Hanbook”, em que explica e dá dicas de como tratar um cabelo cacheado da melhor forma. Ela também é dona de uma marca de produtos de cabelo, a Deva Curl, que possuiu os direitos do termo “Low Poo/No poo”.

Em resumo, low poo é você lavar o cabelo com produtos que não contenham em sua lista de ingridentes: sulfatos fortes e derivados de petróleo. Os sulfatos fortes além de limpar todas as impurezas, também retiram demais a oleosidade natural dos fios (que é boa e essencial) causando um efeito contrário – tira a oleosidade demais-, então nosso corpo acredita que tenha que produzir mais óleo, então para quem já tem cabelo oleoso, isso é o terror! Os derivados de petróleo (óleo mineral, parafina e petrolato) já são como uma “maquiagem”, eles criam uma camada na superfície do cabelo, como se fosse uma capa, que dificulta a absorção dos produtos. Exemplificando, eles funcionam como uma base funciona para nossa rotina de maquiagem: você passa e deixa sua pele bonita na hora, mas não é capaz de tratando sua pele. É um efeito instantâneo e diria que ilusório. Então você  fazer o melhor tratamento do mundo, mas ele não irá penetrar no interior da fibra capilar, pois essa “capa” o impede de chegar até lá.  Só os sulfatos fortes são capazes de retirar os derivados de petróleo dos fios, então por isso se você parar de usar um, você precisa parar de usar o outro. O No Poo segue o mesmo que o loo poo, sendo um pouco mais restritivo, nele você também vai abolir os silicones insolúveis em água.

low-poo-no-poo-giuli-castro

Mas isso quer dizer que vamos ficar com os cabelos sujos? Não, pelo contrário! Existem muitos outros agentes limpantes, que cumprem muito bem a função de deixar nossos fios bem limpinhos e cheirosos e são esses que a gente vai usar e abusar.

Quando você resolve aderir ao Low Poo/No Poo, logicamente não são todos os produtos que você vai poder usar. Infelizmente na indústria o que mais tem são produtos repletos de sulfatos fortes e derivados do petróleo. Então você precisará de um pouco mais de atenção e cuidado em escolher o que usar. Por outro lado, com a popularidade das técnicas, diversos produtos de excelente qualidade estão aparecendo no mercado, até mesmo alguns que não são novos, de repente você até já usou ou usa e nem sabe.

Eu chamo carinhosamente o Low Poo/No Poo de reeducação alimentar dos cabelos, pois acho o processo bastante semelhante. Quando adotamos um novo estilo de vida na nossa alimentação, geralmente paramos de consumir industrializados, passamos a nos alimentar mais de produtos naturais e que nos ofereçam mais nutrientes. Nos cabelos a mesma coisa, quando você adota essa nova rotina, você vai alimentar o seu cabelo com agentes mais naturais e deixar de lado os mais industrializados. Assim como nosso corpo funciona melhor, nosso cabelo também irá. Ele ficará mais forte, mais brilhoso, mais macio e crescerá mais rápido.

low-poo-no-poo-giuli-castro-03

Se você se interessou por esse novo estilo de tratar os cabelos e não sabe por onde começar, a dica que eu dou é reunir todos os produtos que você tem em casa e ler os rótulos para saber quais são os ingredientes que eles possuem. Assim você separa os produtos que são liberados (os que são livres de sulfatos fortes e derivados do petróleo) e os que são proibidos (os que contém sulfatos fortes e derivados do petróleo). Existem produtos liberados de todos os preços, se você não tiver com uma graninha para investir em novos, isso não vai ser problema, pois você consegue produtos liberados por um preço super acessível!

Lista com os ingredientes e produtos  proibidos e liberados: aqui.

Beijos,

Stella

Os melhores lugares para curtir a cultura local de São Paulo

Fui desafiada pelo Expedia a falar sobre os programas mais legais de São Paulo. Vivi lá por doze anos e não consegui aproveitar tudo o que a cidade oferece, mas sempre que posso, dou uma escapadinha para lá. Sim, morro de saudades daquela selva de concreto.

São Paulo é muito mais que uma cidade de negócios. É uma cidade em que encontramos todos os tipos de programas possíveis, para todas as idades e gostos.

Começando por atrações ao ar livre, o meu lugar preferido é o Parque do Ibirapuera. Dos doze anos que morei lá, onze deles foram ao lado do Parque. É um ótimo lugar para desestressar e estar em contato com a natureza. Sempre que conseguia, ia para lá fazer minhas corridas diárias e aproveitar para tomar uma água de coco natural.

sao-paulo-ibirapuera-giuli-castro

Além do Parque do Ibirapuera, outro lugar que conheci, frequentei pouco, mas que me apaixonei, foi o Jardim Botânico. Talvez pela localização, eu não consegui frequentar muitas vezes, mas o lugar é maravilhoso e vale muito a visita.

Adoro andar pela Rua 25 de março, fazer umas comprinhas e depois almoçar no Mercadão. Por lá não faltam opções: como o famoso pão com mortadela ou o pastel do Hocca. Eu fico com o pastel, mas quem já comeu o pão de mortadela, diz ser imperdível.

Ainda no centro antigo da cidade, além da 25 de março e o Mercadão, você pode aproveitar para conhecer a Igreja da Sé que é lindíssima, o Pátio do Colégio e ainda subir na Torre do Banespa e ver toda a cidade lá de cima.

sao-paulo-igreja-da-se-giuli-castro

Falando em gastronomia, não pode deixar de comer feijoada . Eu indico muito a feijoada do restaurante Tordesilhas que fica no coração dos Jardins e é a melhor feijoada que já comi em São Paulo. A feijoada é servida somente aos sábados, no horário do almoço por lá. Depois, para fazer a digestão, nada melhor do que caminhar pelas ruas tranquilas do Jardins. E para quem gosta de doce… La Vie in Douce.

Ir a São Paulo e não comer a famosa pizza, não é ir a São Paulo. A pizza mais famosa e, na minha opinião, a melhor pizza do país não pode ser deixada de lado. Minhas pizzarias preferidas são: Margherita {no Jardins}Veridiana {Jardins ou Higienópolis} ou ainda para apreciar a pizza e conhecer o bairro do Bixiga, indico a Speranza {tem também em Moema e em Santana}

Aos sábados, além de comer a feijoada, também tem 2 feirinhas bem legais: de antiguidades, na Praça Benedito Calixto e a da Liberdade. Para quem gosta de gastronomia asiática, a Liberdade é o paraíso. Você pode trocar a feijoada por algum restaurante asiático de lá. Além, disso, para quem é igual a mim e adora um cosmético ou maquiagem, não pode deixar de visitar a loja gigante da Ikezaki. Mesmo que você não vá comprar nada {que eu duvido muito}, vale a visita.

Falando em museus, quem visita a cidade não pode deixar de ir ao MASP. Além dele, ainda tem o Museu da Língua Portuguesa, Memorial da América Latina, Pinacoteca, Museu da Arte Moderna, Bienal e Museu do Ipiranga.

sao-paulo-masp-giuli-castro

Para quem ama futebol, pode assistir um jogo em algum dos estádios: Pacaembu, Morumbi ou Palestra. Caso você não queira assistir toda uma partida ou não tenha nenhum jogo nos dias que você estiver na cidade, você pode visitar o Museu do Futebol que fica no Estádio do Pacaembu.

A noite não vale ficar em casa, certo?! São Paulo tem baladas para todos os gostos: eletrônica, pop, sertanejo, pagode, samba, etc. Se você não curte balada, pode escolher algum dos vários bares da Vila Madalena. Agora se você curte algo mais tranquilo, pode ir jantar no Terraço Itália ou então ir para o Bar do Hotel Unique, o Skye.

Além de São Paulo, temos muitas outras cidades com muitos programas legais de cultura local. No blog da Expedia Brasil tem várias dicas. Não deixe de conferir.

Gostaram? Quem é de SP, já conhece todos esses lugares?

Beijos

*Publipost

 

Meu Look: Foco no Pescoço #coisasdastres

Hoje é dia de #coisasdastres e o tema dessa semana é Foco no Pescoço. As chokers e bandanas estão super em alta e com o inverno chegando, as pashminas, lenços, golas e cachecóis também vem com tudo. Como eu moro em uma cidade mais quente e ando apaixonada por chokers mais delicadas, escolhi com conjunto com três chokers para montar o look.

Escolhi um look quase monocromático para poder dar destaque para as chokers. Uma regata preta decotada, uma saia de franjas e uma jaqueta jeans  para dar estilo, uma sandália maravilhosa preta e a bolsa amarela que deu um up ao look.

meu-look-choker-giuli-castro-10 meu-look-choker-giuli-castro-01 meu-look-choker-giuli-castro-02 meu-look-choker-giuli-castro-07 meu-look-choker-giuli-castro-05 meu-look-choker-giuli-castro-09 meu-look-choker-giuli-castro-03 meu-look-choker-giuli-castro-06

Regata: NK para C&A

Saia: NK para C&A

Jaqueta: Levis

Bolsa: Coach

Sandália: Schutz

Chokers: Gemma

Batom: Twig- MAC

Fotos: @renatositnik

E ai, gostaram do look? As chokers são muito fofas, né?!

Não deixem de conferir os looks da Mica e da Ca.

Beijos!